espiritualidade x religião

RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE

“A brecha entre religião e ciência é mais estreita do que em geral se pensa, da mesma forma a brecha entre religião e espiritualidade é muito mais ampla.
Religião é um trato, enquanto espiritualidade é uma jornada.”
trecho do livro HOMO DEUS – Uma breve história do amanhã – Yuval Noah Harari.

Tentar traçar um paralelo entre religião e espiritualidade é realmente um desafio que certamente está muito acima do meu parco conhecimento e habilidades, porém, acredito que o tema tem uma amplitude da qual eu possa apenas de forma muito humilde tecer alguns comentários e formar uma singela opinião.

Segundo os misticos orientais, a experiencia real da espiritualidade constitui um acontecimento que abala os próprios alicerces em que se apoia a visão de mundo de um individuo. D.T. Suzuki denominou-a “o fato mais espantoso que pode acontecer no reino da consciência humana”.

Descobrir que temos uma real ligação com o sagrado e que somos capazes de influenciar nosso futuro de forma definitiva é realmente bem espantoso, porém, onde está a chave para esta transformação?  Na realidade pode parecer simples mas somente alguns mestres de sabedoria conseguiram atingir um nivel elevado que os fizesse compreender os motivos de nossa existência e como o sagrado nos une durante nossa experiencia como seres humanos. Isto pode parecer antagônico, mas para se atingir este estado de iluminação é preciso desprendimento, exercitar a compaixão e exaltar a gratidão, mas,  viver desta forma nos dias de hoje não é uma tarefa fácil, aceitar e atrair a abundância para si, pode significar apenas se adaptar aos recursos disponíveis no momento sem deixar de lado a gratidão e a compaixão. A afirmação de Yuval Noah Harari de que religião é um trato e espiritualidade é uma jornada faz todo o sentido, buscar dentro de nosso ser o sentido de cada etapa de nossa vida e conseguir garimpar um aprendizado importante em todas elas é uma caminhada longa e cercada de muitos desafios, mas, certamente será como diz D.T. Suzuki “o fato mais espantoso que pode acontecer no reino da consciência humana”.

Mas diferentemente de religião a espiritualidade não tem uma receita ou um caminho pré definido que o discipulo tem que trilhar para alcançar a iluminação, cada ser vai ter que traçar seu proprio caminho, pois, os desafios são diferentes para cada humano que habita este planeta, não existem muitos exemplos de pessoas que ao seguir a risca os dogmas de uma ou outra religião alcançaram a iluminação ou a compreensão plena da razão da sua existencia, pelo contrário, os mais altos sacerdotes das mais variadas religiões ainda são pessoas atormentadas por dúvidas e medos que a própria doutrina os impõe. Mas se pensarmos ao contrario alguns dos seres que habitaram nosso planeta e conseguiram ascender a um nível mais alto de compreensão e iluminação tiveram suas experiencias descritas e seguidas e deles nasceram as principais religiões que norteiam a fé de milhares de milhões de pessoas. Das experiencias de Jesus e sua trajetória surgiu o cristianismo da mesma forma Sidarta Gautama é o alicerce do Budismo e Maomé inspirou o islamismo.

Temos a falsa impressão de que se seguirmos a risca os caminhos trilhados por estes grandes mestres de sabedoria iremos alcançar a nossa salvação, mas podemos entender isso de outra forma, será que temos as mesmas inquietudes que Sidarta Gautama (Buda) ou até mesmo de Jesus, me parece obvio que os ensinamentos deixados por estes seres iluminados são um grande legado deixado para a humanidade, porém, podemos também admitir que temos o nosso próprio caminho, nossos próprios desafios que também são enormes e vence-los é igualmente uma tarefa das mais desafiadoras, elevar nossa consciência na busca de equilíbrio para nossas inquietudes ja me parece um enorme desafio para elevação espiritual e cabe a cada um de nós percorrer este caminho, se inspirar no legado deixado por estes grandes mestres pode e deve facilitar nossa busca de forma exponencial, mas entender que temos que abrir nossa propria trilha baseada nas nossas experiencias, tornará nosso fardo um pouco mais leve.

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” João 8:32. Esta afirmação contida no livro de joão é um poderoso impulsionador para o caminho da espiritualidade, no entanto as varias tradições cristãs aprisionam seus fiéis defendendo que unica verdade que liberta esta nos dogmas difundidos por este ou aquele grupo religioso. Podemos comparar desta forma que a espiritualidade é uma sala muito ampla onde se pode exercer o livre arbitrio, sendo que nosso poderoso ser espiritual é um guia e uma fagulha de luz que ilumina nosso caminho por este processo de elevação da consciencia, porém para se chegar a esta ampla sala deve-se passar por um estreito corredor que envolve o desapego a compaixão e gratidão. Mas o caminho da religião prega uma estrada estreita cheia de regras e punições para quem se afasta desta estrada, ou seja, a religião, quando levada a níveis de fundamentalismo é um poderoso segregador de idéias e povos.

Se nos concentrarmos na história de Jerusalém, poderemos entender melhor a força que move os dogmas religiosos e a que ponto o fundamentalismo religioso pode levar o homem. A cidade de Jerusalém tem uma historia que data do 4º milênio a.C., tornando-a uma das mais antigas do mundo e é conhecida por ser uma cidade três vezes santa, pois, é sagrada para os Judeus, para os Cristãos e para os Islâmicos. Lá foram travadas várias batalhas pelo seu domínio e muitas pessoas perderam a vida em nome de um domínio religioso, lá foram travadas guerras entre Romanos e Judeus, Romanos e Persas, em 1099 a cidade foi tomada pelos Cruzados numa ocupação sangrenta que massacrou os muçulmanos e o restante dos habitantes judeus, porém em 1187 Saladino retomou Jerusalém das mãos dos cruzados, mas permitiu que cristãos e judeus continuassem a morar na cidade, entre 1517 e 1917 a cidade ficou sob domínio Turco Otomano, existiram vários outros conflitos, porém,como o intuito aqui não é de  uma abordagem historico-cientifica iremos resumir, sendo que,  após a 2a. guerra com a independência de Israel a cidade ficou dividida entre o domínio Judeu e dos muçulmanos e ainda hoje é uma zona de tensão entre Israel e Cisjordânia.

Durante o apogeu do império romano, a ideia de um unico Deus evangelizador que fundamentou o cristianismo não era tolerada pelos romanos, mas o império não  exigia que os cristãos abrissem mão de suas crenças desde que os mesmos respeitassem a divindade do Imperador como uma forma de lealdade politica. Desta forma o império não perderia sua força politica mesmo que houvesse diversidade de crenças, porém, quando os cristãos começaram a recusar a divindade do imperador houve perseguição e lutas foram travadas até o enfraquecimento politico do imperio romano que culminou com a conversão do então imperador Constantino aproximadamente 300 anos após a crucificação de Jesus e a unificação do ja decadende império romano ao cristianismo através do concilio de Niceia.

A idéia do texto acima não é denegrir sistemas religiosos, apenas relatamos que sistemas complexos de crenças religiosas que decretam que a unica verdade que salva é a descrita no seus dogmas, podem levar a segregação e conflitos, sendo que na realidade o papel fundamental da religião e reestabelecer a ligação entre o homem e o sagrado. Na realidade todos nós temos o direito de esclolher qual caminho seguir e nos engajar em frentes religiosas, politicas e filosoficas que nos proporcionem melhor entendimento e nos faça sentir mais plenos, esta é a grande glória de fazer parte da raça humana,  poder fazer escolhas e até mudar de idéia se descobrimos que ao longo do caminho existe uma opção melhor, portanto, nosso convite é: observe, perceba, sinta o chamado e escolha o seu caminho.

Rodney Bernardes Vilanova

Elisangela S. Ferreira

 

2 comentários em “RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE

  1. Uma visão integradora entre ciência e teologia de Pierre Teilhard de Chardin :

    “A religião não é apenas uma, são centenas.
    A espiritualidade é apenas uma.
    A religião é para os que dormem.
    A espiritualidade é para os que estão despertos.
    A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados.
    A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior.
    A religião tem um conjunto de regras dogmáticas.
    A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.
    A religião ameaça e amedronta.
    A espiritualidade lhe dá Paz Interior.
    A religião fala de pecado e de culpa.
    A espiritualidade lhe diz: “aprenda com o erro”..
    A religião reprime tudo, te faz falso.
    A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro!
    A religião não é Deus.
    A espiritualidade é Tudo e, portanto é Deus.
    A religião inventa.
    A espiritualidade descobre.
    A religião não indaga nem questiona.
    A espiritualidade questiona tudo.
    A religião é humana, é uma organização com regras.
    A espiritualidade é Divina, sem regras.
    A religião é causa de divisões.
    A espiritualidade é causa de União.
    A religião lhe busca para que acredite.
    A espiritualidade você tem que buscá-la.
    A religião segue os preceitos de um livro sagrado.
    A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros.
    A religião se alimenta do medo.
    A espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé.
    A religião faz viver no pensamento.
    A espiritualidade faz Viver na Consciência..
    A religião se ocupa com fazer.
    A espiritualidade se ocupa com Ser.
    A religião alimenta o ego.
    A espiritualidade nos faz Transcender.
    A religião nos faz renunciar ao mundo.
    A espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele.
    A religião é adoração.
    A espiritualidade é Meditação.
    A religião sonha com a glória e com o paraíso.
    A espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora.
    A religião vive no passado e no futuro.
    A espiritualidade vive no presente.
    A religião enclausura nossa memória.
    A espiritualidade liberta nossa Consciência.
    A religião crê na vida eterna.
    A espiritualidade nos faz consciente da vida eterna.
    A religião promete para depois da morte.
    A espiritualidade é encontrar Deus em Nosso Interior durante a vida.

    “Não somos seres humanos passando por uma experiência espiritual…
    Somos seres espirituais passando por uma experiência humana… ” “

Deixe uma resposta